domingo, 31 de outubro de 2010

LULA, PT E PMDB GANHAM A ELEIÇÃO: DILMA É PRESIDENTE!!!


Brasil elege Dilma Rousseff, a 1ª mulher presidente

O Brasil elegeu hoje a primeira mulher para a Presidência da República: Dilma Rousseff, do PT. Sua vitória teve a participação do cabo eleitoral mais popular do País, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que mesmo sem estar participando diretamente do pleito, teve papel fundamental ao transferir todo seu elevado índice de popularidade à candidata que escolheu pessoalmente para disputar sua sucessão e levá-la à vitória nas urnas neste segundo turno, mesmo sendo uma estreante na seara de uma disputa eleitoral e concorrendo com um nome forte da oposição, o ex-governador tucano José Serra.

Se dependesse dos números das primeiras pesquisas eleitorais divulgadas em 2007, a candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República jamais teria sido levada adiante. Em outubro de 2007, a pesquisa CNT/Sensus mostrava a então ministra-chefe da Casa Civil com 5,7%. Essa mesma pesquisa, contudo, mostrava que cerca de 35% dos entrevistados poderiam votar em alguém apoiado por Lula. Com base nessa sinalização, o presidente traçou um engenhoso plano para lançá-la na arena da disputa presidencial, trabalhando intensamente para colar sua imagem à de Dilma.

E a estratégia funcionou. Coube a Dilma o lançamento de uma das maiores vitrines do governo, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em 2007. No ano seguinte, Lula a batizou de "mãe do PAC". Como boa discípula, Dilma se autonomeou durante a campanha eleitoral de "mãe do Luz para Todos", programa do governo federal, criado em 2003, com o objetivo de levar energia elétrica às áreas rurais do País. E no decorrer da campanha, quando já liderava a corrida presidencial, assumiu de vez o instinto maternal e disse que pretendia ser, na Presidência, a "mãe de todos os brasileiros".

Dilma nasceu em Belo Horizonte em 14 de dezembro de 1947 e na juventude militou contra a ditadura, atuando no Comando de Libertação Nacional (Colina) em Belo Horizonte, no final dos anos 60. Ela é classificada como durona, rígida, séria, competente, inteligente, extremamente dedicada ao trabalho. Implacável com quem enrola e exigente com os subordinados. Comandou o Ministério de Minas e Energia de 2003 a 2005, até ir para a Casa Civil com a queda de José Dirceu da Casa Civil no escândalo do mensalão. Na nova função, tornou-se uma "mulher dura cercada de homens meigos", como ela mesma definiu.

A ex- ministra já foi filiada ao PDT, mas em 2000 filiou-se ao PT, partido que lhe abriu as portas para chegar ao mais alto cargo do País. Até o final deste ano, completará 63 anos. Dilma já casou e se separou duas vezes com ativistas políticos que lutavam contra a ditadura, mãe de uma filha, Paula Rousseff Araújo, e avó de um neto, Gabriel, que nasceu no dia 9 de setembro deste ano. É dona de Nego, labrador preto e companheiro de caminhadas matinais.

Um de seus melhores amigos, o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel (PT), é quem melhor define a personalidade da nova presidente do Brasil: "Ela trabalha o tempo todo e não deixa nada sem solução. Além disso, acredita que não foi por acaso que sobreviveu à ditadura, quando chegou a ser torturada, sobreviveu para cumprir a tarefa da nossa geração e deixar um País mais justo e solidário do que aquele que nós encontramos."

sábado, 30 de outubro de 2010

EDGAR BUENO JOGOU FORA 6,6 MILHÕES DE RECURSOS A FUNDO PERDIDO PARA O TEATRO MUNICIPAL!!!


Segundo artigo reproduzido na sua totalidade, o jornalista Paulo Martins, culpa apenas e tão somente o prefeito EDGAR BUENO pela não conclusão do TEATRO MUNICIPAL!

"O BURLESCO DO TEATRO

Resisti em acreditar até ter acesso às provas documentais, agora, em poder desta modesta Coluna. O teatro de Cascavel, objeto hoje de ranço político que provoca inconcebível atraso em suas obras, já estaria pronto e A CUSTO ZERO, se a atual administração do Município, quando de sua primeira gestão, assumisse o inarredável compromisso de dar prosseguimento ao que recebera. À época saia Salazar Barreiros e assumia Edgar Bueno e, as obras do teatro ficavam com as fundações prontas e à disposição verba de seis milhões e seiscentos mil reais do Estado, a FUNDO PERDIDO, mais do que suficiente, então, para a conclusão da obra e da mobília necessária.

No processo de liberação do dinheiro estão as assinaturas dos deputados Augustinho Zucchi, Neivo Beraldin, Irondi Pugliesi, Duilio Genari, Cesar Selene e João Techy Filho, parlamentares que apoiaram o então prefeito Salazar Barreiros na empreitada que buscava os recursos a fundo perdido, além do Secretário de Obras Augusto Canto Neto. O projeto saiu de graça - sim, de graça - pois a Prefeitura realizara um concurso, vencido que foi pela empresa Nastas&Bertolucci. E o Governador Jaime Lerner liberava o dinheiro. Vencia a concorrência para a construção a Sial Construções Civis Ltda, licitação da qual participara também Cima Engenharia e Empreendimentos Ltda.

A Cima - perdedora - inconformada, entrava na justiça com pedido de impugnação, interrompendo a construção e seu objetivo. Conseguiu atrapalhar a obra por um ano, até ser vencida em sua intenção. Mas aí expirava o mandato do então, todavia, para que não fosse perdida a verba, Salazar solicitava prorrogação de prazo para a concessão da verba, através de processo burocrático, e lograva êxito de prorrogação por um ano. Lograva êxito, mas deixava o governo do Município, pois findara seu mandato.

O QUE ERA PRECISO FAZER?

A Administração que assumia - Edgar Bueno - só teria que ir em busca dos seis milhões e seiscentos mil reais no caixa do Governo e tocar as obras do teatro, pois nada mais impedia o processo de construção, nem mesmo o embargo de seu amigo Cima. Não o fez.

Cascavel perdeu a verba a fundo perdido conquistada por Barreiros. Ficavam as fundações do teatro, também deixadas por Barreiros. Na sequência, Edgar terminava seu mandato e nada mais - A FUNDO PERDIDO, REPETE-SE - mas, Lísias decidia tocar a obra pelo município. Reassumia Edgar Bueno para outro mandato. As obras do teatro, que levam a lembrança de Salazar Barreiros como precursor e que concluiria o empreendimento sem gastar um centavo do Município, e depois Lísias Tomé, que decidira tocá-las, passavam a sofrer influência negativa, cujos reflexos a opinião pública tem acompanhado.

O teatro não anda em suas obras e, devido a inacreditável perda de seis milhões e seiscentos mil reais (fundo perdido) deverão custar agora mais do que o triplo do que inicialmente fora calculado.

A que tipo de responsabilidade pública terá que responder uma administração que comete tamanho prejuízo a uma sociedade? Certamente quem poderá responder será a Câmara de Vereadores que, hipoteticamente teria que fiscalizar os interesses dessa mesma sociedade e, quem sabe o Ministério Público.

Repito, documentos em poder desta Coluna à disposição de quem desejar constatar a existência das provas dessa insensatez revelada pela atual administração de Cascavel.

Seria conveniente se encomendar já, a algum autor, a peça teatral que um dia da próxima administração de Cascavel, servirá de atração na inauguração do teatro. Sugere-se o título: 'SEIS MILHÕES E SEISCENTOS MIL REAIS JOGADOS FORA'".

Nota do Blog: Paulo Martins em sua conclusão acima pensa da mesma forma que eu: "Essa administração fará o possível e o IMPOSSÍVEL para não concluir a obra do TEATRO MUNICIPAL".

TROPA DE ELITE 2 É UMA BRAVATA???!!!


ARTIGO

Verdades ditas por Tropa de Elite 2 viram grande bravata
Publicado em 28/10/2010 | CHRISTIAN SCHWARTZ, ESPECIAL PARA A GAZETA DO POVO

Há um comercial de alguns anos atrás, assinado pela W/Brasil, de Washington Olivetto, que alguém no YouTube – onde, aliás, é possível assisti-lo na íntegra – classificou como a “melhor propaganda do século 20”. Exagero, talvez, mas é mesmo das mais inteligentes da história da publicidade brasileira e mundial. A locução em off descreve os feitos de um líder que, entre bons números na economia, “pegou uma nação destruída e devolveu o orgulho a seu povo”, além de ter sido um homem que “adorava música e pintura e, quando jovem, imaginava seguir a carreira artística”. A tomada se afasta e, dos pontos em preto e branco que víamos no início, forma-se a imagem de Adolf Hitler. O slogan arremata: “É possível contar um monte de mentiras dizendo só a verdade”, e segue-se a assinatura do anunciante, o jornal Folha de S.Paulo.

Lembrei do comercial ao assistir Tropa de Elite 2. Só que a frase que me veio à cabeça simultaneamente aos aplausos da plateia na sala ainda escura – parece que virou moda, Brasil afora, ao final de cada projeção do filme – diz o inverso: “É possível contar um monte de verdades que acabam virando apenas uma grande bravata”.

... no fim das sessões, mas não contribui para melhorar o que quer que seja
Recordes

As proezas de Tropa de Elite 2 nos cinemas brasileiros

Público

Em 20 dias, vendeu 6,2 milhões de ingressos, segundo dados da Rentrak EDI até ontem (faltando a coleta do resultado de cerca de 40 salas).

Recorde

Com esse número, Tropa 2 supera o recorde de 6,13 milhões, estabelecido por Se Eu Fosse Você 2 (2009), e se torna a maior bilheteria nacional (quase R$ 60 milhões) desde a Retomada do cinema brasileiro, em 1995.

Impressionante

Tropa 2 está em quarto lugar histórico entre todos os filmes já exibidos em telas brasileiras, ganhando das séries A Era do Gelo, X-Men, Harry Potter, Shrek, Piratas do Caribe e Matrix; e do primeiro Homem-Aranha.

Antes de mais nada, esclareço: Tropa 2, como cinema de entretenimento, é excelente. Minha avaliação estética do que assisti – e talvez o leitor, afinal, espere esse veredito de um texto como este – não poderia ser outra: se falado em inglês, concorreria fácil ao Oscar de melhor filme, cabeça a cabeça com os mais bem-sucedidos policiais produzidos em Hollywood nos últimos anos, na linha de um Martin Scorsese, ou ainda da mão firme de um diretor incontestável como Clint Eastwood. Com a vantagem de que Wagner Moura e cia. são uma trupe formada por atores mais talentosos do que os atualmente disponíveis no mercado americano.

Dito isso, assim como em Tropa 1 (mas de um jeito diferente), me incomodou profundamente o discurso dominante na narrativa. Não vou, aqui, repisar o suposto problema de uma ideologia fascista por trás da voz do agora Coronel Nascimento – apesar da referência a Hitler no parágrafo inicial. Tampouco me refiro à questão “técnica”, apontada por vários entendidos, da opção pela narração em off do próprio Nascimento, que induziria o espectador a determinadas conclusões (novamente apenas coincidência com o comercial do qual me lembrei). Penso que meu incômodo tem mais a ver com a sensação de que, embora ataque com propriedade algumas das muitas causas de sermos um país extremamente violento, o filme de José Padilha faz a plateia acreditar que conhece, assim como o próprio diretor, a solução dos nossos problemas. Ingenuidade e equívoco a um só tempo.

É uma verdade cristalina a de que “o sistema”, como diz o Coronel Nascimento, sempre encontra um jeito de faturar. A de que a violência nos morros e nas periferias não se resume a uma querela entre bandidos e mocinhos. A de que a política – do baixo clero aos altos escalões – está envolvida no crime no Brasil (embora, na minha opinião, falte verossimilhança às sequências protagonizadas pelo fictício governador do Rio de Janeiro, um dos únicos personagens caricatos sem que isso fosse deliberado, como no caso do deputado/apresentador de programa policialesco). É verdade, enfim, que as classes abastadas – dos estratos médios para cima – contribuem para esse estado de coisas. E é exatamente aqui que se pode detectar a grande bravata do filme.

Assim como em Tropa 1, o cidadão brasileiro médio – chamemos assim – aparece pouco na tela. (O professor Fraga poderia representá-lo, mas quem de nós meteria a cara na política como ele?) Na continuação recém-lançada, como notou o sempre perspicaz crítico José Geraldo Couto, a cena emblemática – e pouquíssimo comentada – é a dos comensais de um restaurante chiquezinho aplaudindo o coronel quando entra ali disposto a chamar às falas os políticos que tentavam derrubá-lo.

Quem são essas pessoas que aplaudem – no restaurante cenográfico como no final da exibição de Tropa 2?

Fico com a nítida sensação de que são as mesmas pessoas que, encontrando na rua algum político “vagabundo” e “ladrão”, acham que estão exercendo um papel cívico relevantíssimo xingando-o – ou, quem sabe, atirando-lhe uma bolinha de papel, uma bobina de fita adesiva ou uma bexiga d’água. Entre figuras públicas supostamente cada vez mais indistintas, o cidadão médio em questão xinga ou agride aquele que não é da sua turma, ou seja, que não defende baixar seus impostos ou, do outro lado, pagar mais bolsa-família e liberar o crédito para cada vez mais gente se endividar feliz com carro novo e televisão último tipo.

Esse arremedo de indignação não contribui, absolutamente, para melhorar o que quer que seja – e nele se incluem a declaração de Wagner Moura (do próprio, não do personagem que interpreta na tela) de que “todo mundo já teve vontade de dar um tapa em um deputado safado” ou, ainda, a recusa de José Padilha a comentar a atual eleição, preferindo evasivas, quando não piadinhas e lugares-comuns, nas entrevistas que concede. Seguiremos vivendo a rotina do aplauso à falsa solução, à grande bravata – enquanto, reconheçamos, nossa atividade cívica cotidiana e real é próxima de zero. E, pior (porque isso, sim, paradoxalmente, poderia ser a solução, como foi em vários países desenvolvidos), com uma classe média crescente, mas parece que cada vez menos politizada e esclarecida.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

NÃO DEMORA MUITO E OSMAR DIAS DESCARREGARÁ SUA IRA EM EDGAR BUENO!!!


Osmar volta a culpar pedetistas por derrota

Depois de classificar o prefeito de Londrina Barbosa Neto como um dos responsáveis por sua derrota nas eleições de governador no Paraná, o senador Osmar Dias (PDT) voltou a criticar publicamente a falta de apoio de seus companheiros de partido nesta sexta-feira (29) em Maringá.

Mesmo sem citar nomes durante a coletiva, Osmar deixou claro que se tratavam de políticos de Londrina e Maringá. "Deixo para a consciência daqueles que eu apoiei e depois não me devolveram o apoio, principalmente os que pertencem ao meu partido".

Ao final da entrevista, o senador "expulsou" o vice-prefeito de Maringá, Carlos Roberto Pupin, do quadro do PDT. "Vou anunciar aqui um convite público para o meu ex-companheiro Pupin sair do PDT", disse o senador. Pupin deve divulgar uma nota à imprensa ainda nesta tarde.

Ministro?

A agenda de Osmar em Maringá fazia parte da campanha estadual para a candidata do PT Dilma Rousseff à presidência da República. Questionado se poderia fazer parte do primeiro escalão do governo em caso de vitória, o senador desconversou.

"Fui candidato a governador e não sou candidato a ministro. Não estou na campanha da Dilma porque tenho essa pretensão. Se tiver que deixar a política e ser agricultor em tempo integral, volto tranquilo", disse o senador, que irá acompanhar a apuração dos votos em Brasília ao lado da candidata.

Obs.: "vejam a cara de desdém de ANDRÉ BUENO, e a cara de deboche de EDGAR BUENO na foto acima, quando o candidato derrotado OSMAR DIAS voltou para Cascavel após sua derrota para BETO RICHA".

TEATRO BARRACÃO VAI DAR O MAIOR ‘BARRACO’

No Blog do Maleski nosso Parceiro a milhares de anos...

TEATRO BARRACÃO VAI DAR O MAIOR ‘BARRACO’


O vereador Walmir Serveguinini (PSL), que assumiu o mandato na condição de suplente do PSL em substituição ao vereador Osmar Cabeleireiro por curtos 30 dias, não vai passar em branco. Promete armar o maior ‘barraco’ na sua última sessão como vereador titular, na próxima terça-feira. Foi averiguar in loco e comprovou que o Teatro Barracão, no Lago Municipal, acabou se transformando em verdadeiro “barracão” para o depósito de material inservível da Secretaria de Educação e está em adiantado estado de deterioração.
O vereador pretende denunciar o descaso e cobrar solução imediata para o prédio destinado a cultura que acabou lamentavelmente virando cultura para cupins e outros animais peçonhentos.


NOTA: POR INUMERAS VEZES A SECRETARIA DA CULTURA BEM COMO O ASSESSOR DE GABINETE ATAIR GOMES DA SILVA, FORAM PROCURADOS PELA ASSOCIAÇÃO LADRI DI CUORI PARA QUE EM REGIME DE COMODATO DELIBERASSEM O TEATRO DO LAGO PARA A UTILIZAÇÃO DA CULTURA ITALIANA BEM COMO TODA E QUALQUER MANIFESTAÇÃO CULTURAL , EM CONTRAPARTIDA A ASSOCIAÇÃO SE COMPROMETERIA MA MANUTENÇÃO E REFORMA DO ESPAÇO. AÍ ESTAMOS VENDO O DESCASO QUE FAZ COM AS ENTIDADES QUE QUEREM AJUDAR O PODER PÚBLICO, NA ÉPOCA NOS FOI DITO QUE JA ESTAVAM COM O ORÇAMENTO GARANTIDO PARA A REFORMA E ESTARIAM UTLIZANDO O TEATRO PARA FINS CULTURAIS BASEADOS EM PROJETO DE GESTÃO.

ESTAMOS VENDO O PROJETO SENDO CUMPRIDO.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

BRAVO!!! PEÇA TEATRAL CURITIBANA É PREMIADA!!!


Vida conquista prêmio Bravo!

Publicado em 27/10/2010

Foi um grande feito para o teatro paranaense: A Companhia Brasileira de Teatro, dirigida por Márcio Abreu, conquistou na última segunda-feira o 6.° Prêmio Bravo! Bradesco Prime de Cultura, na categoria melhor espetáculo de 2010, por Vida. A montagem estreou em março, no Festival de Curitiba, após dois anos de pesquisas sobre o universo criativo de Paulo Leminski. Ao lado do Shell, o Bravo! Bradesco Prime é o o prêmio mais importante do setor. Vida passou por outros festivais, como o Filo, em Londrina, e o FIT Belo Horizonte, com ótima recepção de público e crítica. Na semana passada, voltou à capital mineira para participar do Acto 2, ao lado dos grupos Espanca! e XIX de Teatro. Nos próximos meses, o elenco formado por Nadja Naira, Giovana Soar, Ranieri Gonzalez e Rodrigo Ferrarini vai apresentá-la no FIAC (em Salvador) e fará nova temporada em São Paulo. A Companhia Brasileira também já trabalha numa nova produção, a estrear em Curitiba em dezembro. Batizada de Oxigênio, tem texto do dramaturgo russo Ivan Viripaev, contemporâneo e inédito no país.

LANTERNAS VERMELHAS NO GUAIRÃO!!!


Guairão será palco de apresentação do Balé da China
O deslumbrante balé Lanternas Vermelhas poderá ser apreciado no dia 6, às 21h e no dia 7 de novembro, às 19h, em Curitiba

Curitiba recebe nos dias 6 e 7 de novembro o Balé Nacional da China. A cidade foi escolhida para a estréia nacional do deslumbrante balé Lanternas Vermelhas, no Guairão.

Em sua primeira turnê brasileira, a mais importante e tradicional companhia de dança chinesa, vai apresentar um espetáculo baseado no maior sucesso cinematográfico do internacionalmente famoso cineasta Zhang Yimou, indicado para o Oscar.

A produção destaca-se não só pelo inovador conceito de iluminação e pelas soluções cênicas, que parecem levar o espectador para dentro de uma cena de cinema, como também pelos maravilhosos figurinos e perfeição técnica dos solistas e corpo de baile.

O espetáculo tem assinatura da produtora Verinha Walflor.

JUDETE TENTA, MAS NÃO CONVENCE VEREADOR!!!


Conversei na manhã de hoje com o vereador OTTO REIS, que informou a respeito de sua conversa com a secretária da cultura JUDETE BILIBIO.

Segundo OTTO a preocupação de JUDETE foi muito mais "julgar" a posição de "WANDERLEI DOS ANJOS", que dar qualquer tipo de explicação!!!

O vereador pelo que pareceu não ficou convencido, até porque JUDETE não consegue desenvolver uma linha de raciocínio em suas explicações e se complica ao ter que envolver outras pessoas que nada tem a ver para explicarem a questão.

OTTO, deverá solicitar a prestação de contas da secretaria da cultura em relação a vários assuntos, em especial ao recolhimento de taxa de artistas locais no Centro Cultural Gilberto Mayer e o uso do recurso FEDERAL no Ponto de Cultura instalado na Casa da Cultura Zona Norte.

Parabéns ao vereador OTTO REIS, que aos poucos inicia uma "cruzada" em defesa das questões culturais de Cascavel!!!

EM TEMPO: O vereador Walmir Severgnini constatou e fotografou o depósito de "inservíveis" da educação que virou o TEATRO DO LAGO, e deverá apontar indicações para que haja uma nova utilidade "de preferência" cultural para o espaço.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

EDGAR PRECISOU LEVAR UMA SARAIVADA DE CRÍTICAS PARA VOLTAR NA OBRA DO TEATRO!!!


Prefeito vistoria obras do Teatro Municipal de Cascavel

Obra civil está 68% concluída

O prefeito Edgar Bueno foi vistoriar as obras do Teatro Municipal de Cascavel nesta tarde (27). A construção civil está 68% concluída e segue na fase de acabamentos, como colocação de cerâmica, calfinamento, entre outros. O valor investido na obra é de R$ 7.271.254,33, que possui 7.249,61 metros quadrados. Acompanharam a vistoria o secretário de Serviços e Obras Públicas, Paulo Gorski, a secretária de Cultura, Judet Bilibio, e a secretária de Desenvolvimento Econômico, Susana Kasprzak.

“Esse é uma obra nova, mas com um projeto de 20 anos atrás. Então, para se adaptar uma obra à modernidade que Cascavel exige, são necessárias muitas mudanças. Felizmente, a obra física está andando e deve ser concluída até dezembro deste ano. Depois, vamos licitar ar-condicionado, poltronas, caixa cênica, entre outros, são produtos caríssimos”, destaca o prefeito Edgar Bueno.

O objetivo da administração municipal é buscar recursos a partir de emendas parlamentares e apoio do governo estadual. “Vamos trabalhar como estamos fazendo, lutando para que a obra não paralise e que o Teatro Municipal esteja disponível para a população de Cascavel, que exige essa melhoria há muito tempo”, explica o prefeito Edgar Bueno.

VISITE CASCAVEL E GANHE UMA MULTA! O EDGAR PRECISA ARRECADAR!!!


Confira onde a Cettrans irá instalar os radares
Motoristas deverão redobrar a atenção para não perderem pontos na carteira e serem multados...
Publicado em 26 de Outubro de 2010, às 12h3min | Giovana Danquieli | Fonte: Secom

Em até 30 dias, serão instalados mais de 40 radares eletrônicos, distribuídos em 25 locais, nas ruas de Cascavel. Ainda em setembro, dois deles foram instalados para testes - um na Rua Presidente Kennedy e outro na Rua Rio Grande do Sul. Os equipamentos serão aferidos pelo Inmetro e após a avaliação serão instalados. A Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito) investirá no serviço o aluguel mensal de R$ 180.084,17. O contrato é por 36 meses.

Serão instalados 25 fotossensores - os chamados “furões” – que detectam infrações por excessos de velocidade, avanço de sinal vermelho, parada sobre a faixa de pedestre e registro de imagens. Também haverá 20 pardais fixos que detectam o excesso de velocidade e fazem o registro de imagem. Além disso, duas lombadas eletrônicas, radar estático e um portátil e pocket PC. Alguns dos radares terão integrado o sistema OCR, que faz o reconhecimento automático de placas dos veículos.
Confira onde serão instalados os radares:
Lombada eletrônica - excesso de velocidade
Endereço:
Av. Carlos Gomes, próx. nº 1967
Av. Tancredo Neves, próx. nº 3100


Radares fixos - excesso de velocidade

Endereço
Entre ruas R. Jorge Lacerda Ernesto Farina / Luiz Venturim
Av. Barão do Rio Branco Goiás / Paraná
R. Minas Gerais Av. Piquiri / Tiradentes
R. Antonina Dom Pedro II / Riachuelo
R. Presidente Kennedy Pio XII / Oswaldo Cruz
R. Recife Mal. Deodoro / Mal. Floriano
R. Erechim Afonso Pena / Riachuelo
Av. Brasil Pedro Miranda / Otelo C. de Castilho
Av. Brasil Mal. Deodoro / Mal. Floriano
Av. Brasil. Sta. Helena / União da Vitória
Av. Tancredo Neves Aimorés
R. Cuiabá Mal Deodoro / Mal. Floriano
R. Cuiabá Carlos de Carvalho / Souza Naves

Radares fotossensores - excesso de velocidade, parada sobre faixa de pedestre, avanço sinal vermelho

Endereço:

R. Minas Gerais x R. Riachuelo
R. Paraná x R. Sete de Setembro
Av. Brasil x R. Pio XII
R. Sete de Setembro x Av. Brasil
R. Rio Grande do Sul x R. Marechal Cândido Rondon
R. Rio Grande do Sul x R. Carlos Gomes
R. Barão do Cerro Azul x R. Rio Grande do Sul
R. São Paulo x R. Pio XII
R. São Paulo x R. Marechal Cândido Rondon
Av. Carlos Gomes x R.Cuiabá

O PRAZER DE CONTRACENAR COM O MAIOR ATOR DO CINEMA UNIVERSAL!!!


Brasileira atuará com Anthony Hopkins em Hollywood

Alice Braga estará no horripilante 'The Rite' que terá como tema principal o exorcismo e as forças malígnas. A previsão é de estreia em 28 de janeiro

A paulistana Alice Braga, de 27 anos, já provou que tem talento de sobra para atuar em filmes nacionais e internacionais.

Depois de dar um show de interpretações nos filmes 'Cidade Baixa', O Cheiro do Ralo' e Cidade de Deus', a sobrinha de Sônia Braga alçou voos mais altos e conseguiu seu espaço em filmes hollywoodianos. Entre eles 'Predadores', 'Eu Sou A Lenda', 'Ensaio sobre a Cegueira', 'Os Coletores' e 'Cinturão Vermelho'.

Seguindo sua carreira internacional, Braga atuará ao lado do consagrado ator de Hollywood Anthony Hopkins no horripilante 'The Rite', que teve seu trailer divulgado na última quarta (20).

Dirigido por Mikael Hafstrom, o longa que falará sobre exorcismo e forças malígnas terá também em seu elenco os atores Ciarán Hinds (Munique) e Rutger Hauer (Blade Runner).

'The Rite' tem estreia prevista para 28 de janeiro de 2011.

HISTÓRIAS DE CANÇÕES: TOQUINHO!!!


Livro desvenda histórias e letras de Toquinho

'História de Canções: Toquinho' relata a carreira artística, as composições, letras, as circunstâncias que elas foram escritas e as amizades do cantor

"História de Canções: Toquinho" chega às livrarias em outubro. O novo título da coleção da editora LeYa Brasil, que retrata a origem das canções de nomes consagrados da MPB, aborda agora a trajetória de Antonio Pecci Filho, conhecido do público como Toquinho. Wagner Homem, responsável pelo primeiro volume da coleção, divide a autoria com o escritor João Carlos Pecci, irmão do músico.

Toquinho começou a carreira artística na década de 60, em São Paulo, influenciado pela Bossa Nova – como praticamente todos daquela geração. Foi quando conheceu Chico Buarque, seu primeiro parceiro. Muitos outros se seguiram. Entre ele Vinicius de Moraes com quem formou, por mais de dez anos, uma dupla que unindo juventude e experiência produziu dezenas de clássicos da Música Popular Brasileira como "Tarde em Itapoã", "Sei lá... a vida tem sempre razão" e "Regra três".

Embora marcante, a parceria com Vinícius não foi exclusiva, e Toquinho compôs com outros artistas, de diferentes gêneros, como Jorge Benjor, Paulinho da Viola, Elifas Andreato, Belchior, Francis Hime, Cacaso, Paulo César Pinheiro, Mutinho, Gianfrancesco Guarnieri e Paulo Vanzolini para citar alguns. O livro revela os bastidores dessas criações, assim como a de seu maior sucesso, "Aquarela" – que primeiro foi gravada em italiano, conquistando um disco de ouro na Itália – responsável pela consagração definitiva e internacional de Toquinho.

"História de Canções: Toquinho" vai além das letras e circunstâncias em que as músicas foram concebidas: há fotos, capas dos álbuns com todas as músicas e respectivos autores, reproduções de jornais e revistas. Como os demais títulos dessa coleção – a editora LeYa lançou volumes sobre Chico Buarque e Paulo César Pinheiro -, a obra registra e preserva parte importante da música popular e da cultura brasileira.

'Ficha Técnica'

'Histórias de Canções: Toquinho'

Autores: João Carlos Pecci e Wagner Homem

Nº de páginas: 304

Preço: 44,90

PARA COMEMORAR O DIA INTERNACIONAL DA ANIMAÇÃO!!!


Dia 28/10 (quinta-feira) é celebrado o Dia Internacional da Animação. Neste dia mais de 30 países e mais de 300 cidades brasileiras simultâneamente estarão exibindo uma animação.
E Cascavel está entre elas, via SESC e Cineclube Silenzio.
Venha participar deste evento global que se tornará o maior do gênero já realizado.

Dia 28 às 19:30hrs no SESC Cascavel

Nos dias 29 e 30/10 também exibiremos animações da mostra no mesmo horário.

Dia 30 também entramos na fase final das oficinas de cinema 2010.
Quem participar traga seu argumento/roteiro/cena para nos prepararmos e escolhermos uma ou duas para gravar nas últimas duas oficinas.

A oficina é dia 30 das 9h às 12h e das 14h às 17h

terça-feira, 26 de outubro de 2010

LÉO RIGON SECRETÁRIO DA CULTURA!!!


O atual presidente da ACESC poderá resolver um dos maiores problemas da administração Edgar Bueno: O TEATRO MUNICIPAL! Léo Rigon, está se tornando o maior realizador de "obras" dessa administração. Já construiu o calçadão da Rua do Rosário, construiu capelas "vips, masters, standers... etc", está terminando capelas em alguns bairros e iniciando em outros.

Assim, nessa toada, a solução para terminar a obra do TEATRO MUNICIPAL está na 'cara' de Edgar Bueno. Léo é fiel, defensor e amigo do prefeito e é o único secretário que carrega um "acervo" de obras nessa administração.

Edgar tentou fazer com o Léo Rigon, o que fez com Paranhos em 2001: "Enterrar na ACESC", e agora é obrigado a engolir o PARANHOS como DEPUTADO ESTADUAL, e a assumir que seu "melhor" secretário é o PRESIDENTE DA ACESC!!!

GRUPO LONDRINENSE ESTRÉIA NOVO ESPETÁCULO!!!


'Nos Trinque' é novo espetáculo de humor de 'Os Toscos'

As apresentações acontecem na quarta (27), no Bar Valentino, às 22h30 e no Teatro Zaqueu de Melo na quinta, dia 4 de novembro, às 21h

A apresentação do grupo 'Os Toscos' tem como tema escolhido para este mês : Quarta Tosca GOLD – "NOS TRINQUE", um nome com elegância para denominar o que o grupo sabe fazer de melhor humor de qualidade.

A cada mês um espetáculo com quadros diferentes cuja intenção é só fazer rir, pois acreditamos que o riso ainda é o melhor remédio. No espetáculo o público encontra personagens que já marcam presença como Andréa Boquetão, Thime Goiabada, Sandra Xoxota e muito mais.

O grupo 'Os Toscos que vem cada vez mais se consolidando em Londrina e região, se apresentam regularmente toda última quarta feira do mês no Bar Valentino. Com muitas novidades e esquetes nada convencionais, o grupo promete tirar a platéia do lugar.

As apresentações do grupo neste mês acontecem na quarta (27), no Bar Valentino, às 22h30; e no Teatro Zaqueu de Melo na quinta, dia 4 de novembro, às 21h, com o intuito de atingir um publico diferenciado do que já esta acostumado a acompanhar o grupo no Bar Valentino.

Uma das técnicas que o grupo adotou este ano consiste em uma intensa divulgação que acontece sempre na semana do evento, os personagens saem às ruas e bares de Londrina com intenção de divulgar e também de levar o riso as pessoas que ainda não conhecem o grupo.

Acompanhe a agenda e outras novidades pelo site: www.ostoscos.com.br


'Serviço':

'Os Toscos'

Quando: quarta, dia 27 de outubro

Horário: 22h30

Local: Bar Valentino

Couvert: R$ 8

Quando: dia 4 de novembro

Horário: 21h

Local: Teatro Zaqueu de Melo

Couvert: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

domingo, 24 de outubro de 2010

FESTIVAL DE CINEMA EM CASCAVEL ESTÁ FADADO AO FRACASSO! JÁ EM SÃO PAULO!!!...


Mostra Internacional de Cinema de São Paulo
O fantasmagórico Manoel de Oliveira discute vários tipos de morte no desconcertante O Estranho Caso de Angélica

A organização da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo não poderia ter escolhido melhor o filme de abertura de sua 34.ª edição. Exibido na noite de quinta-feira para convidados no Auditório do Ibirapuera, O Estranho Caso de Angélica é uma pequena joia. Aos 101 anos, o diretor português Manoel de Oliveira não dá sinais de cansaço e realizou uma de suas obras mais instigantes.

Não é um equívoco afirmar que o filme de Oliveira é sobre a morte. Mas engana-se quem fizer uma leitura apressada e ligar o tema à idade avançada do cineasta. Sobretudo porque O Estranho Caso de Angélica não fala apenas do fim da vida, mas de um mundo no qual costumes, tradições, tecnologias e métodos de trabalhos, muitos deles seculares, aos poucos desaparecem, para ceder lugar ao novo.

Pobres meninos grandes

A comédia dramática norte-americana Cyrus, de Jay e Mark Duplass, é a prova de que, com um bom roteiro e atores competentes, se vai bastante longe. No centro da trama, uma provocativa discussão sobre masculinidade e os duros processos pelos quais muitos homens têm de passar para se tornarem adultos.

A trama tem como personagem central o jovem fotógrafo Isaac (Ricardo Trêpa, neto do diretor), um judeu sefardita (de origem ibérica) que aluga um quarto de pensão numa pequena cidade às margens do Rio Douro. Sobre ele, se sabe muito pouco, a não ser que é um sujeito ensimesmado que prefere câmeras analógicas às digitais e tem interesse por registrar práticas de trabalho nas vinhas da região que ainda não foram substituídas pela mecanização. Isaac, enfim, é um homem anacrônico.

A vida do personagem sofre uma reviravolta quando, no meio da noite, é chamado para fotografar, numa quinta dos arredores, o corpo de uma jovem que acaba de morrer. Ao chegar à casa da falecida, depara-se com um quadro bizarro: a mãe da moça a colocou vestida de noiva, em um divã, como se estivesse adormecida. Ao focar sua lente na defunta, Isaac tem uma visão que não o abandona – a jovem lhe sorri e, a partir des­­se momento, começa a lhe as­­sombrar os pensamentos e até os sonhos.

Manoel de Oliveira envolve sua narrativa com uma aura de mistério, mas não de misticismo. Essa atmosfera se faz presente por meio de silêncios mortos, de paisagens brumosas e, acima de tudo, é evidente no descompasso entre Isaac e o mundo que o cerca.

Como num grande conto, em que a tensão e a contenção mantêm a narrativa no fio da navalha, Oliveira enreda o espectador com imagens que colam na memória, potencializadas pela trilha sonora. O jornalista viajou a convite da Mostra.

DELEGADO DA CONFERÊNCIA DE CULTURA SOLTA O VERBO!!!


FALTA CONSELHOS PARA O CONSELHO?

Prezado Artista, produtor e ator e articulador da nobre arte cênica, que apesar das grandes dificuldades teatrais que blinda a quem se envereda por estas linguagens culturais, onde as luzes e holofontes nem sempre se acende aonde almejamos mostrar as nossas cores e nossos adornos apagados as vezes por um blecaute imprevisto, venho participar deste blog em vista aos grandes acontecimentos que com certeza estão retratando a nossa história cultural cascavelense. Primeiro me pergunto: Seria necessário todo esse alarde? Seria necessários estarmos nos anais jornalístico, discutindo termos e documentações cabíveis para uma melhor contrapartida cultural? Num ponto de vista onde percebemos o quão é tão escassa de desenvolvimentos culturais não só a nossa querida terra, mas se falando em Paraná e Brasil, tenho a leve sensação que cada passo questionado e lutado de uma forma democrática e saudável, trará desenvolvimento e crescimento para ambos os lados que propoe a construir uma melhor sustentabilidade cultural para a região. Será que teríamos maneiras mais descentralizadas para se fazer estas iniciativas para implantar o Conselho? Se através de um Simbósio, onde convidaríamos a maioria das nosssas autoridades locais, civis ou não. Já imaginou se montássemos esse Simbósio, onde teríamos a presenças de vereadores, presidentes de bairros, classes religiosas, empresários, militares em fim, o maior possível número de cidadões que contribui e contribuiram para o desenvolvimento deste querido Município. Os artistas em peso, sendo que todos os convidados principalmente os artistas estariam incubidos em parcerias com os orgãos governamentais culturais a estabelecer uma acessoria para todos os convidados, onde teríamos debates, ouviríamos as opiniões de todos os setores e a partir desse procedimento se começaria a articular as possibilidades de se fazer o primeiro passo para o Conselho Cultural. Acho que quando todos se sentarem para conversar estaríamos dando um passo para que se comece a iniciar este grande anseio da classe artistica cascavelense. Estive nas iniciativas do Conselho Nacional de Cultura, fui um dos delegado, fiz a abertura com este lindo poema:
Não lembrarãm de mim para o Conselho, apesar de hoje a minha pessoa estar relacionada com grandes eventos nacionais, como Festival das aguas da Itaipu, Festival Nacional de Curitiba, este poema esta em grandes blog de Minas Gerais, fora minhas artes que já estão sendo reconhecidas lá fora. Não reclamo do esquecimento, mas acho que seria bem mais fácil chegar a um denominador comum se unissem as forças, sozinhos não se vai a lugar nenhum. É preciso pensar em um Cascavel gigante e promissor no mundo das artes, pois nas outras áreas esta indo a mil por hora e se pararmos a olhar seremos atropelados por este incrivel progresso que esta alavancando o Paraná.Então vamos fazer junto, mas fazer com experiência articular minuciosamente e plantar antes para colher depois, porque como se percebe muitas vezes os processos culturais são deixados para últimos momentos e pode se sofrer a perca do bem esperado ou não termos embassamento concretos para se conseguir trazer o de melhor para todos, que são os projetos federais, estaduais que com certeza dara um salto gigantesco na nossa cultura.


Oração de um artista para o mestre das artes universais

Senhor meu Deus, dono de todas as verdades, símbolos e signos

Dono do fogo, da água, da terra e do ar

Dono de todo o universo e da humanidade

Agradeço por este momento e por todos que estão aqui neste lugar

Os que estão em outros trabalhos, na escola ou cuidando do lar.

Senhor, quero falar sobre minha profissão, sim, eu sei que o senhor sabe!

Mas já que somos amigos vamos conversar!

Não escolhi ser artista, fui escolhido e neste universo de fantasias e realidades

Oras ensinando, oras aprendendo, o meu dever para contigo esta sendo cumprido.

As vezes nossa vida é uma dança, cujos vais e vens se parecem com os cisnes

Na força do movimento e na leve sutileza do pousar

Passo a passo que parece ate voar

As vezes imitamos os rouxinóis, estrídulos de alegria

Para levar para a casa o pão nosso de cada dia

As vezes nossos sonhos se transformam em películas, todos eles enfileirados em latinhas, dentro de cada uma, um roteiro, das histórias que um sonhador escreveria.

As vezes somos arcos-ris, misturamos as cores, entre aquarelas, sanguínea, abstratas

E acadêmicas, quentes ou frias

A vida é colorida, uma tela assim dizia

As vezes o papel e o lápis é a riqueza que tem

E a bagagem que leva é os livros os poemas que sua alma de poeta escreve tão bem.

As vezes aparece do nada, todo fantasiado pintado a gritar cheio de emoção

Alguém gosta de palhaçada? Eu não, eu gosto de milho assado, palha não!

Outras vezes, num passe de mágica e admiração, faz desaparecer a tristeza e faz aparecer a alegria nos corações.

As vezes faz uma roda e no gingado de cintura

Ensina a arte do viver e da educação

Na maioria das vezes se mistura na calçada entre as multidões

Vendendo a sua arte a arte do artesão

As vezes o risco no quadro, o giz na mão, formando grandes homens, professor artista?

Sim a arte também é dom!

E depois de tantos as vezes sussura no silêncio da ribalta ou lá do proscênio as sutis palavras. “A vida e um palco nos somos os atores quem apaga as luzes no final da peça?

Senhor meu Deus, dono de todas as verdades, símbolos e signos, dono do fogo,da água da terra e do ar, dono de todo o universo e humanidade, Eu precisava lhe dizer, e só mais um pedido abençoe a todos nós, agora, amanhã e para sempre em nosso viver.

Obs.: Material enviado pelo artista MIGUEL JOAQUIM DAS NEVES, Delegado escolhido na I Conferência Municipal de Cultura em 19 de outubro de 2009. Publicado conforme enviado.

sábado, 23 de outubro de 2010

ARTISTAS VÃO COBRAR DO PREFEITO E SECRETÁRIA DOCUMENTOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS!!!


Importante reunião foi realizada pela Classe Artística na manhã de hoje na Praça de Alimentação do Shopping Quatro Estações.

Antes das deliberações o Procurador aposentado e Presidente da ACL (Academia Cascavelense de Letras), Antonio de Jesus, fez importante relato de reuniões "secretas" realizadas pela Secretaria Municipal da Cultura, e uma "minoria" de artistas que não podem (e não têm procuração pra isso), falar em nome da "classe".

AS DELIBERAÇÕES

01 - Já que segundo Jesus (o ex-procurador), informou que havia um documento "pré-formatado" do CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA. Enviar OFÍCIO ao prefeito municipal de Cascavel com cópia para a Secretária Municipal da Cultura, solicitando a "minuta" desse documento para apreciação dos artistas de Cascavel.

02 - Agendar reunião com a COMISSÃO DE CULTURA da Câmara Municipal, para que essa analise conjuntamente com a CLASSE ARTÍSTICA o ante-projeto do CONSELHO MUNICIPAL DA CULTURA.

03 - OFÍCIAR a Secretária Municipal da Cultura JUDETE BILIBIO, para que a mesma apresente a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2011, aos artistas da cidade, e os mesmos possam saber "onde" serão aplicados os recursos da Secretaria Municipal de Cultura.

04 - OFÍCIAR a Secretária Municipal da Cultura (acíma citada), para que explique e faça uma "prestação de contas" dos valores recebidos em "taxas" de locação do espaço do CENTRO CULTURAL GILBERTO MAYER, após a entrada em vigor da LEI DE INCENTIVO aos artistas cascavelenses com isenção do uso dos espaços públicos. Já que há documentos da entidade ACPT (Associação Centro de Pesquisa Teatral), comprovando o pagamento, mesmo solicitando "oficialmente" a isenção e apresentando a Lei em questão. Fontes informaram que uma entidade ligada ao GERENTE da Secretaria da Cultura, senhor ANTONIO MARCOS FERREIRA, usa o espaço e até hoje "nunca" recolheu taxa alguma.

NOTA DE REPÚDIO

Na reunião foi "repúdiada" de forma veemente a atitude do GERENTE FINANCEIRO DA SECRETARIA DE CULTURA E PRESIDENTE DO PHS EM CASCAVEL, ODAIR CÍRICO, que sem conhecimento de "causa", formação artística ou mesmo presença nos eventos culturais de Cascavel, críticou publicamente a qualidade artística de todos os SEGMENTOS CULTURAIS da cidade.

Ficou decidido o envio de uma NOTA DE REPÚDIO ao DIRETÓRIO DO PHS ESTADUAL e ao PREFEITO MUNICIPAL DE CASCAVEL, para que ambos tomem uma atitude contra essa manifestação "anti-ética" e discriminatória do senhor ODAIR CÍRICO.

É... A SEMANA QUE VEM PROMETE VÁRIAS AGITAÇÕES NO SETOR CULTURAL!!!

ESSE FILME ESTARÁ NO FESTIVAL DE CINEMA DE CASCAVEL???!!!


Paranaense entre os selecionados para o Festival de Brasília

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que acontece entre 23 a 30 de novembro de 2010, divulgou a lista de filmes selecionados e as duas atrações de abertura: a cópia restaurada de Lilian M. – Relatório Confidencial (foto), de Carlos Reichenbach, e o curta 50 Anos em 5, de José Eduardo Bel­­monte. Da seleção da mostra competitiva em 35mm, fazem parte seis longas e 12 curtas. Já na digital, são 22 títulos em curta e média-metragem, entre eles o paranaense Naquela Noite Ele Sonhou com Um Mar Azul, de Aristeu Araújo.

Os longas selecionados são: A Alegria, de Felipe Bragança e Ma­­ri­­na Meliande (RJ), Amor?, de João Jardim (RJ), O Mar de Mário, de Re­­gi­­naldo Gontijo e Luiz F. Suffiati (DF), O Céu sobre os Ombros, de Sérgio Borges (MG), Transeunte, de Eryk Ro­­cha (RJ) e Vigias, de Marcelo Lordello (PE).

BUENO, RUFFA E OS 30 ANOS DO "TÁ NA HORA"!!!


Infância sertaneja

O dramaturgo Edson Bueno adaptou a prosa de Guimarães Rosa ao palco no espetáculo Miguilin, com o qual o grupo de teatro Tanahora, da PUCPR, celebra 30 anos de atividade. A montagem, dirigida por Laércio Ruffa, estreia hoje, às 20 horas, no Tuca.

Sabendo das dificuldades que a literatura original do autor impõe ao leitor – e ainda mais ao espectador, que está menos atento a cada nova palavra dita –, Bueno cumpriu a tarefa com cuidado, levando também em conta a distância entre aquele universo mineiro sertanejo e a realidade curitibana.

Sonhos

Retirada do livro Manuelzão e Miguilim, a história apresenta um menino pobre do interior de Minas Gerais, a quem falta educação e dinheiro, mas sobram conflitos familiares. À realidade dura, Miguilim responde com força de vontade, sonhando além daquele horizonte imediato. Sua imaginação não esbarra no monte “intransponível” que existe na região, ele quer conhecer o que há depois.

O ator Tiago Galan Mazurkevic, de 8 anos, interpreta o protagonista, contracenando com um elenco de mais 11 integrantes. A experiência o colocou em contato com a cultura sertaneja, que desconhecia, e tem rendido aprendizados não só sobre teatro, mas também sobre voz, corpo e literatura.

Serviço:

Miguilim

Tuca – Teatro da PUCPR (R. Imaculada Conceição, 1.155), (41) 3271-1555

Texto de Guimarães Rosa

Adaptação de Edson Bueno

Direção de Laercio Ruffa

Com o Grupo de Teatro Tanahora

Sáb. e dom. às 20h. R$ 12 e R$6 (meia). Até 7 de novembro.

A PEDAGOGIA DO ENCANTAMENTO!!!

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

JUDETE REBATE CLASSE ARTÍSTICA DIZENDO QUE SISTEMA DE CULTURA ESTÁ SENDO IMPLANTADO!!!


Conselho e Fundo Municipal de Cultura em implantação

A Prefeitura de Cascavel, por meio da Secretaria de Cultura, está implantando o Sistema Municipal de Cultura, o qual contempla o Conselho Municipal de Política Cultural de Cascavel (CMPCC) e o Fundo Municipal de Incentivo Cultural de Cascavel (FMICC). Além destas reivindicações de toda a classe artística, fez-se necessário a criação dos sistema para a veiculação de verbas e o destacamento do Município no Calendário Oficial Nacional de Cultura, bem como a necessidade de debates para a realização dos eventos culturais.

“Esse Sistema, e especialmente o Conselho, é uma busca incessante, que foi iniciada há vários anos. Quando fui convidada a assumir a pasta, fiz deste anseio, uma das metas a ser contemplada e principalmente realizada. É nesta perspectiva que os artistas e a sociedade civil poderão ser favorecidos por verba pública e fazer-se ouvir pela sociedade, contribuindo, assim, para o crescimento artístico-cultural da cidade e região”, destaca a secretária de Cultura, Judet Bilibio Haschich.

Segundo a secretária, as reuniões para a elaboração e organização do Conselho e do Fundo Municipal de Cultura foram realizadas entre os meses de agosto a outubro. Participaram dos trabalhos pessoas da comunidade artística, acadêmicos – da Unioeste, FAG e Unipar – associações, ACL (Academia Cascavelense de Letras).

“O projeto sobre a criação do Conselho e do Fundo Municipal de Cultura será encaminhado para a Câmara de Vereadores de Cascavel na próxima semana. Assim que aprovado, vamos fazer a 2ª Conferência Municipal de Cultura, quando serão eleitos os conselheiros”, destaca Judet.

NOTA DO BLOG

Precisou uma manifestação da CLASSE ARTÍSTICA através de uma CARTA ABERTA para que a Secretária Municipal da Cultura, fosse se "mexer" e tentar dar uma posição a respeito do Conselho Municipal de Cultura e Fundo Municipal de Cultura. Entretanto o que JUDETE precisa explicar é o fato de dar declarações a respeito da devolução de valores que podem chegar a R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais), a cobrança do espaço do CENTRO CULTURAL para entidades e artistas da cidade, o valor recebido pelo CTG ESTÂNCIA COLORADA, que é ligado ao Clube particular mais rico de Cascavel, a paralisação da obra do Teatro MUnicipal, a perda dos recursos dos Festivais de Música e Dança... Entre tantas outras ações equívocadas como os Festivais de Teatro e Cinema que não têm nenhum tipo de atrativo ou acrescenta para o processo cultural de Cascavel.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

ANDRÉ BUENO PROMETEU E NÃO VAI CUMPRIR!!!


Durante a campanha o então candidato e filho do prefeito ANDRÉ BUENO, visitou vários "quiosques" do calçadão da Avenida Brasil, e prometeu aos proprietários que em "caso de eleição" (a sua), estaria garantida a permanência dos atuais concessionários nos quiosques.

E não é que não passa de mais uma "promessa" não cumprida da família BUENO!!! Coitado do sobrinho do FIORI (que cuida da revistaria do falecido tio), que acreditou piamente e foi fazer campanha aberta para ANDRÉ BUENO, mesmo depois de pessoalmente eu avisá-lo que não dava para acreditar nesse "povo".

Pois o edital será publicado na próxima quarta-feira (27/10), e será revogado o edital anterior por "perda de objeto", segundo o Secretário Alisson "Crisântemo" da Luz, que na verdade não quer divulgar que a perda foi JUDICIAL, e que o município perdeu de forma "UNÂNIME" em todas as instâncias.

De qualquer forma os quiosqueiros já preparam seus procuradores para uma nova batalha JUDICIAL, novos mandados de segurança e liminares serão solicitados para embargarem mais esta licitação, que de forma engraçada acontecerá justamente após a eleição.

EM TEMPO: É bom o "inexperiente" sobrinho do Fiori não acreditar mais na família Bueno, caso contrário também terá que acreditar em coelhinho da Páscoa e Papai-Noel!!!

O PAU TÁ COMENDO NO SETOR CULTURAL EM CASCAVEL!!!


Basta ler os comentários das últimas postagens no blog para saber que a coisa está "preta" pro lada da SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA.

Vou relembrar alguns fatos para serem lembrados na reunião dos artistas no sábado de manhã:

01 - A paralisação das obras do TEATRO MUNICIPAL.

02 - A prestação de contas do recurso do PONTO DE CULTURA, que segundo fontes está servindo para pagar dividas do FESTIVAL DE MÚSICA.

03 - O fato da Diretora de Cultura JOENARA CESCHETE, trabalhar em quatro lugares diferentes.

04 - A cobrança do espaço do CENTRO CULTURAL G. MAYER, de artistas e produtores locais, contrariando lei existente no município.

05 - O abandono do CIRCO DA CIDADANIA para a Secretaria de Ação Social.

06 - A falta de frequência de funcionários graduados em suas funções: Exemplo, o senhor Antonio Marcos Ferreira nunca é encontrado na Secretaria da Cultura ou no Centro Cultural.

07 - Fundo Municipal e Conselho Municipal de Cultura.

08 - Os recursos do Festival de Música e de Dança com origem do Governo do Estado, perdidos de forma irresponsável pela atual administração.

09 - A formatação da Fundação Cultural deixada pela administração anterior que sequer foi discutida com a comunidade cultural.

10 - Onde está indo o dinheiro destinado ao incentivo e apoio aos artistas locais.

Atenção, apenas 10 iténs "básicos" para serem lembrados na reunião de sábado!!!

PRESIDENTE DO PHS É ACUSADO DE DISCRIMINAR ARTISTAS!!!


O Presidente do PHS E Gerente Financeiro da Secretaria da Cultura, Odair Círico, é acusado de discriminar públicamente a CLASSE ARTÍSTICA de Cascavel.

Círico, segundo o cineasta Vander Colombo, ao ver o manifesto dos artistas em relação à "incompetente" gestão cultural da cidade, de forma discriminatória e sem conhecimento técnico bradou o seguinte: "Se vocês fizessem trabalhos decentes poderiamos pensar em liberar o teatro para vocês".

Vander Colombo fez o seguinte comentário: "Bonita postura da SEMUC humilhando artistas locais em público para tentar justificar os seus atos".

O fato é que ODAIR CÍRICO não possuí nenhum tipo de formação artística. É um "falido" ex-proprietário de restaurante, e juntamente com JUDETE, JOENARA e outros "donos" do PHS, venderam o partido em troca da Secretaria da Cultura. A cara cultural da cidade é a mesma do PHS: Sem expressão, sem força e desistimulado.

Na reunião de sábado vou sugerir ao grupo de artistas que conjuntamente à toda CLASSE ARTÍSTICA DE CASCAVEL, ofereçam um B.O. (boletim de ocorrência), contra o PRESIDENTE DO PHS, Senhor ODAIR CÍRICO, como também a redação de uma CARTA DE REPÚDIO contra a atitude de ODAIR CÍRICO, que além de PRESIDENTE DO PHS em Cascavel, ocupa cargo público em COMISSÃO na Secretaria da Cultura.

A CLASSE ARTÍSTICA poderá também solicitar ao PHS estadual uma "reprimenda" em seu presidente local, como também agendar uma "reunião" com o prefeito EDGAR BUENO, para que o mesmo tome uma atitude em relação ao seu subordinado, e para que explique à comunidade cultural da cidade o motivo de "tanta incompetência" no SETOR CULTURAL!!!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

ARTISTAS SE REVOLTAM COM SECRETARIA DA CULTURA!!!


Sistema de cultura disse...

então Vanderlei, o grupo de artistas está insatisfeito com a forma anti-democratica que a politicas culturais vem sendo tratada. Fui eleito primeiro delegado na conferencia municipal de cultura, a exato um ano atras, 19 de outubro. onde a comunidade aprovou tambem diversas medidas, como criação do conselho, etc. Mas a Secretaria convidou alguns amigos e esta fazendo o processo de forma fechada. O que se quer é democracia e participação. Seria no mínimo uma atitude politica mais inteligente chamar todos para construirem. Enfim, estamos comemorando mais um ano de paralisias. Que os responsáveis apaguem as velinhas! Espero que vc poste isto.

Jeferson Kaibers
19 de outubro de 2010 23:01


Vander Colombo disse...

Lembrando que a carta foi mandada a todos os jornais e nenhum deles teve peito de publicar ou mesmo comentar, preferindo o discurso político tendencioso do dia 31 sem dar importãncia aos verdadeiros problemas locais. O que podemos esperar dessa mídia?
Importante lembrar que uma pessoa da Secretaria, ontem, ao ver nosso manisfesto gritou na frente do CCGM em frente à várias testemunhas: "Se vocês fizessem trabalhos decentes poderiamos pensar em liberar o teatro para vocês" (não vou tentar dizer quem foi porque nunca vi o cara na minha vida, e olha que sempre frequento a parca vida artísta cascavelense)
Bonita postura do SEMUC humilhando artistas locais em público para tentar justificar seus atos.
Se bem que, convenhamos, esta É a postura do atual do SEMUC, onde nós artistas temos que protocolar um documento seguindo os passos legais enquanto temos que ouvir como resposta um bate-boca da secretaria com seu motorista ou sei lá o que era o nervosinho.
De modo algum estou defendendo uma gestão ou outra mas falo como artista local e da condição abaixo do precário que estamos enfrentando no momento. Não quero ter que ser amiguinho de político para conseguir fazer meu trabalho, eu não trabalho com política trabalho com cultura, no momento apenas com incentivo moral e privado dos meus companheiros. E sou apenas mais um dos muitos que tem que acabar indo embora dessa cidade para conseguir trabalhar. Tenham vergonha.

20 de outubro de 2010 12:46

terça-feira, 19 de outubro de 2010

CLASSE ARTÍSTICA PROTOCOLA CARTA QUESTIONANDO AÇÕES CULTURAIS EM CASCACAVEL!!!


A Secretária da Cultura JUDETE BILIBIO está vivendo seu "inferno astral".

Fui alcançado no inicio da tarde de hoje pelo verador Otto dos Reis, que gostaria de saber detalhes da "carta" protocolada na Câmara Municipal na manhã de hoje. Como não sei de nada solicitei ao edil uma cópia da carta, e a reproduzo de forma fiel abaixo.


"CARTA ABERTA PROTOCOLADA NA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES

Cascavel, 19 de outubro de 2010.

Considerando que a sociedade civil, ao utilizar-se dos direitos democráticos garantidos por lei, tem por princípio o controle social, a defesa destes mesmos direitos e a autonomia para a reivindicação de respostas do Poder Público diante de suas reinvindicações, artistas, entidades, agentes e produtores culturais, professores, estudantes e apreciadores de arte vêm solicitar, junto à V. Exas., uma resposta acerca das ações promovidas pela SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA, gestão 2009-2012, diante do interesse popular e das deliberações consensuadas durante a I CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA DE CASCAVEL, realizada no dia 19 de outubro de 2009, entendendo que o Poder Legislativo é o órgão competente na fiscalização do Poder Público Executivo.

Reunidos no intuito de discutir e elencar as ações realizadas pela SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA no ano corrente, após as deliberações da I Conferência Municipal de Cultura e que são do conhecimento da opinião pública, os atores signatários deste documento consideram de suma importância a retomada dos pontos elencados no fórum público da Conferência, considerando que a criação de um Sistema Municipal de Cultura, que contenha o Conselho Municipal de Cultura, o Fundo Municipal de Cultura e a revisão da Lei de Incentivo Municipal de Cultura, já garantida pelo município, entre outros instrumentos que garantam a participação pública na efetivação das Políticas Públicas Culturais do município, alguns pontos discrepantes e de interesse da opinião pública e vêm questionados neste documento.

Ante os anseios, dúvidas e alongamentos quanto aos encaminhamentos retirados da referida conferência, três dos quatro delegados da sociedade civil eleitos a representar o município na II Conferência Estadual de Cultura, realizada na cidade de Campo Mourão, no mês de novembro de 2009, advertiam sobre a importância de cumprirem-se as metas discutidas na I Conferência Municipal, dado o risco de o municipio não desenvolver ações que realmente fortaleçam e desenvolvam as ações culturais, firmando assim ad infinitum a política atual neste campo de ações fragmentadas e falíveis pela ação de poucos que dão continuídade a suas atividades mesmo sem recursos e incentivos públicos. Outros presentes lembravam o histórico cultural em Cascavel, onde muito fora prometido quanto a criação do Conselho Municipal e do Fundo Municipal de Cultura, mas nada fora cumprido, até mesmo pelo não chamamento dos delegados eleitos publicamente para novas discussões com relação a encaminhamento destas demandas e de outras mais que podem ser aferidas no relatório da Conferência.

Portanto, devido ao infeliz histórico de postergar discussões sobre a POLÍTICA CULTURAL em nossa cidade, devido já ter sido realizada a Conferência de 2009, devido à SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA ainda não ter convocado os conferencistas para discutir e dar encaminhamentos às metas consensuadas no fórum público, este grupo, enquanto cidadãos e detentores de direito de auto-organização garantido pela Constituição Federal, comunica a composição de uma COMISSÃO, a partir de encontros temáticos e programáticos, com o objetivo de estudar e sistematizar uma proposta para a efetivação do Sistema Municipal de Cultura de Cascavel, convidando todos e todas para contribuírem com suas experiências e demandas na elaboração de um plano que, de fato, responda às necessidades públicas e não sejam apenas elaborações teórico-burocráticas sem atingimento da população que irá dele usufruir.

Nestes termos, em conjunto com o Poder Público, pois contamos com a legitimação deste, enquanto sociedade civil, contando ainda com a participação de delegados eleitos pela população participante do fórum público da Conferência Municipal de Cultura e tendo, enquanto cidadãos, o dever de zelar pelo interesse público, consideramos que a existência de um Sistema Municipal de Cultura enaltece a produção artística do município e dá visibilidade a ele, desde que realizado dom apreço, responsábilidade, seriedade e honradez.

Para tanto, a resposta que este grupo exige do Poder Público Municipal, por meio de sua Secretaria Municipal de Cultura, consiste em:

1 - Demonstrativo das ações realizadas ao longo do ano de 2010 com referência às metas constituídas na I Conferência Municipal de Cultura, realizada no dia 19 de outubro do ano de 2009.

2 - Esclarecimentos quanto ao fato de orçamento conhecido informalmente pela classe artística, já que no corrente ano ficou-se ciente da quaixa da atual Secretária Municipal de Cultura, JUDETE BILIBIO HASCHICH, de que uma certa quantia em dinheiro (segundo fontes, R$ 250.000.00 - duzentos e cinquenta mil reais), teria sido devolvida aos cofres públicos devido a inexistência de propostas culturais que viessem a resgatá-la. An passant, foi citado também, o fato de que sem um projeto pronto ou aprovado pela lei federal No. 8.313, de 23/12/1.991, denominada LEI ROUANET, os projetos, se apresentados, estariam inaptos a resgatar o prêmio referido. Nestes termos, este grupo reserva-se ao direito de questionar a veracidade deste acontecimento e também, sendo de fato este o ocorrido, esclarecimentos sobre a publicização deste incentivo financeiro, contendo informações sobre o edital público lançado para a apresentação de proponentes bem como o período de tempo em que este recurso esteve disponível para utilização (da data de sua aprovação até a data de devolução).

3 - Segundo fontes, a Associação Atlética Comercial, possuidora de um patrimônio avaliado em R$ 4.556.973,80 (quatro milhões, quinhento e cinquenta e seis mil, novecentos e setenta e três reais e oitenta centavos), composto pelos bens móveis e imóveis contabilizados oficialmente em seus balanço patrimonial, representado quantitativamente po 3.100 (três mil e cem) títulos patrimoniais, teria recebido, não obstante a sequente informação de que a SECRETARIA DE CULTURA de Cascavel não possui fundos para apoios culturais, a verba de R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) via CTG (Centro de Tradições Gauchas) Estância Colorada, para realização do evento FECASTCHÊ 2010. Fato este que gera desconfiança quanto aos critérios utilizados para a disponibilização deste recurso, já que outras entidades, grupos amadores e profissionais também desenvolvem ações no município de Cascavel e não foram informados de tal fato, nem mesmo da disponibilidade deste recurso como incentivo do poder público para ações culturais, de modo que, tratando-se de recurso orçamentário, o investimento dele não deve ser realizado a revelia da SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA, devendo, necessáriamente, conforme o caso acima, passar por abertura de edital público e seleção de projetos.

No caso da questão primeira, algumas informações são contraditórias, como o fato da citação da LEI ROUANET não se aplicar a dinheiro público, mas privado, cedido com o auxilio do abate de uma porcentagem do Imposto de Renda (de pessoa física ou jurídica), como é conhecido por todos. Porém, caso se trate de verba via FUNARTE ou outra instância pública, a hombridade na Administração pública reforça o comprometimento na gerência da referida SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA, ao tornar o fato público numa convocatória do meio artístico e posterior seleção dos projetos ou abertura de edital público. Em termos, ambos os casos demonstram que a inexistência do Conselho Municipal de Cultura, ponto pacífico durante a I Conferência Municipal de Cultura e ainda inativo, facilita ações de caráter duvidoso quanto a aplicação de recursos públicos no município, assim como decisões de gabinete, tal a desativação da VIDEOTECA da SEMUC, que atualmente encontra-se como uma área administrativa no interior do prédio da Biblioteca Municipal assim como a não efetivação dos Pontos de Cultura sob a responsábilidade da secretaria supramencionada.

Sendo o que tínhamos para o momento, e no aguardo de vossa réplica ao final do corrente mês, reiteramos os nossos protestos de estima e consideração, informando ainda que as ações deste grupo terão continuídade e serão encaminhadas ao Ministério Público no caso de uma negativa quanto a esta intervenção.

A Comissão que se propõe elaborar a proposta do Sistema Municipal de Cultura reunir-se-à novamente no dia 23 de outubro (sábado), às 9 horas da manhã, na praça de alimentação do Shopping 4 Estações, convidando todos os interessados no debate a se fazerem presentes nesta ocasião."


COMENTÁRIO DO BLOG

Isso é um verdadeiro "soco" no queixo de EDGAR BUENO, que por várias vezes foi avisado da incompetência que está instalada na SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA.

Não sei quem é o "grupo", mas com certeza um JURISTA faz parte dele. Irei no sábado para conhecê-los, e se eu fosse a JUDETE BILIBIO, convocaria toda sua "trupe", supra-sumos da pedância e prepotência e também iria lá, pois essa reunião poderá antecipar sua "queda" da cadeira de SECRETÁRIA MUNICIPAL DA CULTURA!!!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

O TR'AGICO FIM DE FESTA DA CULTURA LOCAL!!!

FESTIVAL DE TEATRO

Inicia-se amanha o FESTIVAL DE TEATRO DE CASCAVEL. E mais uma vez o que fica claro 'e a falta de "criatividade" e pouca disponibilidade do pessoal da cultura local. Espetaculos de qualidade duvidosa, sem a possibilidade de uma analise das obras apresentadas e sequer um pequeno debate para avaliar os manifestos, improvisos e espetaculos estudantis apresentados. MAIS UMA ATIVIDADE QUE APENAS 'E REALIZADA POR SEREM OBRIGADOS A FAZER, SEM NENHUM IMPACTO, NOVIDADE OU MELHORA PARA O SETOR.

MINISTERIO DO TRABALHO

Segundo boatos dois professores do FESTIVAL DE TEATRO, estariam burlando as leis trabalhistas e EXERCENDO ILEGALMENTE A PROFISSAO. Para que possam se defender estamos aqui citando e dando o direito de defesa para os mesmos. LEONIDAS QUADRI (O TICO) e ALFREDO CRUZ, conforme denuncias ministrarao oficinas de teatro durante o FESTIVAL sem o reconhecimento profissional do SATED (SINDICATO DE ATORES E TECNICOS EM DIVERSOES DO PR), e assim a prefeitura "corrobora" com uma irregularidade SINDICAL.

Obs.: Na minha opiniao (Wanderlei dos Anjos), indiscutivel a capacidade de ALFREDO CRUZ, entretanto se existe um SINDICATO deve ser respeitado. Ja o caso do "TICO"... melhor nem comentar...

JUDETE EM FIM DE FESTA

O "velorio" chamado FESTIVAL DE TEATRO, e o "enterro" que sera o FESTIVAL DE CINEMA, serao a despedida da "era" JUDETE BILIBIO. Nomes e acordos ja correm a "boca-pequena", bastidores dao conta de um acerto com o PMDB pois EDGAR BUENO quer "tempo e militancia" para sua possivel reeleicao. Judete vendeu a "alma" ao diabo e serviu a dois senhores: COLOU ADESIVO DE ANDRE EM SEU CARRO E "CEDEU" A CASA PARA BETO RICHA. O povo do PDT quer seu "couro". Alem do que a "classe" esta totalmente contra JUDETE, que faz uma administracao improdutiva e sem qualidade. O desconhecimento do que deve ser POLITICA CULTURAL esta claro, alem disso seus principais assessores preocupam-se com suas outras atividades. A Diretora JOENARA CECHET, ocupa cargo com dedicacao exclusiva mas ministra aulas no periodo que deveria trabalhar (24 horas), nos Colegios: SAO CRISTOVAO, COSTA E SILVA E WILSON JOFFRE... O Gerente do Centro Cultural ANTONIO MARCOS, esta mais preocupado com o filme O MONTE CARMEL, e com sua produtora de eventos que nao "paga" nada para usar o CENTRO CULTURAL denominada SEVEN, e se aproveita da situacao privilegiada oportunizada pela pouco " producente" JUDETE BILIBIO.

FORA, WANDERLEI!!!

Este movimento foi realizado no ano de 2005, apos a descoberta que o Secretario da Cultura Luiz Ernesto Pereira, as Diretoras JUDETE BILIBIO e Beatriz Dal Molin e a Gerente Susan Turcatel, estavao envoltos em uma serie de irregularidades naquele que foi chamado de " O ESCANDALO DOS AMIGOS DA BIBLIOTECA" . Dinheiro gasto em festas, viagens e outras "cositas mas" foram parar no ralo. Um nome foi cogitado para "moralizar", pois tinha acesso junto ao estado e "personalidade" para enfrentar o problema... Esse nome: WANDERLEI DOS ANJOS. Adivinha o que aconteceu??? Os apaixonados por LUIZ ERNESTO, BIA, JUDETE E SUSAN incitados pelos mesmos "tentaram" evitar o "inevitavel". RESOLVEMOS, SANEAMOS, CRESCEMOS, CONSTRUIMOS BOA PARTE DO TEATRO MUNICIPAL, TROUXEMOS RECURSOS E IMPLANTAMOS UMA POLITICA CULTURAL.

A HISTORIA SE REPETE

Nos ultimos dias tenho recebido uma serie de telefonemas, mensagens e assedios a respeito da " possivel" queda de JUDETE. Varias formas de especulacoes irresponsavelmente sao jogadas ao vento! Hoje um grupo de artistas (plasticos), ligaram-me ao "meio-dia" para indagar QUEM seria o "substituto" (a) de JUDETE, e que o nome que "eles" ouviam falar seria o MEU.

WANDERLEI FORA

Caros amigos! Obrigado pela lembranca, entretanto minha opcao ideologica e a adversidade politica colocaram eu e o EDGAR BUENO em campos opostos. Essa situacao ja foi remediada no passado, porem uma atitude IMPULSIVA, AUTORITARIA E PREPOTENTE do prefeito EDGAR BUENO, nos colocou de forma intransponivel em situacao contraria na seara pessoal recentemente. Quem nao lembra da INVASAO DA BANCA DO WALTAO??? Atitude essa tomada pela IRA, ODIO E RAIVA momentanea de EDGAR BUENO, devido ao MOVIMENTO DE "ABRACO AO TEATRO MUNICIPAL"!!!

Obrigado amigos que faco questao de citar: Clayton, Luiz Carlos, Cesar, Gelson, Luciano, Carla, Solange, Luciano, Marcos, Dirceu (o grande), Damasceno, Guilherme, Andre, Adriano, Luiz, Ana Denise, Willian, Ricardo, Serginho, Silvana, Joceir, Grazziella, Celso, Miguel... Entre tantos que gostariam que o PROCESSO CULTURAL NOVAMENTE VOLTASSE A SER INSTALADO NA CIDADE!!!

A unica forma de um novo CRESCIMENTO CULTURAL em Cascavel, 'e a proxima eleicao e esperar eleger um PREFEITO com afinidade cultural. A CULTURA DE EDGAR BUENO esta clara: SOJA, TRIGO E MILHO, tanto que FECHOU A DISCOLANDIA, para investir na ERVA MATE FOLHA VERDE, na melhor caracteristica de sua origem!!!

EM TEMPO: Meu computador foi formatado hoje, e nao sei ainda ajustar os acentos, entretanto essa postagem nao poderia ser deixada para amanha.


quarta-feira, 13 de outubro de 2010

NÃO ADIANTA CHORAR!!!

Não me venham com churumelas!

O cambada de puxa-sacos do prefeito que está no poder! Quando era o Tolentino se diziam "apaixonados" por Fidel, foi só o "careca" sair do poder para atacarem ele públicamente. O mesmo aconteceu na era SALAZAR. Até o Lísias de repente "virou" Deus para os "puxas" de plantão.

O pior é ver e ter que aguentar os mesmos "imbecis" que criticaram, atacaram e tripudiaram o EDGAR BUENO quando esse perdeu a eleição em 2004, hoje "lamberem" os pés do atual prefeito.

Não adianta criticarem o blog ou questionarem a minha posição política e alegarem que o blog é "apenas" CULTURAL.

Aqui escrevemos, opinamos e críticamos a respeito daquilo que achamos necessário se posicionar, independente da questão ser CULTURAL, POLÍTICA, ESPORTIVA, SOCIAL... Além disso tudo aqui é devidamente ASSINADO, sem anônimato, segredo ou medo de se identificar!!!

OS INSANOS DA TERÇA INSANA!!!

Novo espetáculo da 'Terça Insana' será apresentado no PR
'A Curiosa Teatroteca' será apresentado nos dias 5 e 6 de novembro, a partir das 21h, no Grande Auditório do Teatro Positivo

Um dos maiores fenômenos teatrais dos últimos tempos, 'Terça Insana' está na estrada com a quinta turnê nacional do consagrado projeto de humor que há nove anos lota as apresentações em todo país. Nos próximos dias 5 e 6 de novembro, a Prime Eventos traz a Curitiba, pelo quarto ano consecutivo, a trupe com a turnê 2010, "A Curiosa Teatroteca". A curta temporada será realizada no Grande Auditório do Teatro Positivo, com sessões às 21 horas. Nele, estão reunidas novas cenas e personagens criados por Grace Gianoukas e seu atual elenco fixo, que este ano traz novidades. Pois além dos atores tradicionais do projeto – Grace Gianoukas e Agnes Zuliani - o espetáculo apresentará os novos integrantes da Terça Insana: Renato Caldas e Artur Kohl. Completa o elenco, a atriz Mila Ribeiro, que já vinha participando freqüentemente como convidada especial do projeto. A sabedoria e a maturidade são temas de alguns quadros do show, que traz críticas à exclusão da terceira idade e ao conhecimento superficial da vida moderna em intervenções e números interativos. Além do sucesso nos palcos, com mais de 2 milhões de espectadores em todo o Brasil e em Portugal, e de dois DVDs que já venderam mais de 70 mil cópias, as esquetes do "Terça Insana" são recordistas de acesso no You Tube, o que rendeu à trupe de Gianoukas um canal oficial no portal de vídeos. O espetáculo – por onde já passaram 18 atores no elenco fixo e mais de 300 convidados, com uma apresentação por semana, turnês nacionais e novas esquetes todos os meses – virou referência de humor e, para festejar, Grace Gianoukas e sua trupe estão planejando a comemoração do aniversário de dez anos, que terá montagens especiais e o lançamento de um novo DVD, com direção do mineiro Rodrigo Carelli.


'Serviço': 'Terça Insana' – 'A Curiosa Teatroteca'

Quando: dias 5 e 6 de novembro (Sexta e Sábado)

Horários: 21h

Local: Teatro Positivo – Grande Auditório (R: Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300)

Pontos de Venda: Disk Ingressos (41) 3315-0808, Internet: www.diskingressos.com.br, quiosques instalados nos Shoppings Estação, Mueller e Total, e na bilheteria do teatro, das 9 às 21 h

Valores: plateia inferior - R$ 74 (inteira) e R$ 39 (meia-entrada) / plateia superior - R$ 54 (inteira) e R$ 29 (meia-entrada). A meia-entrada é para estudantes, maiores de 60 anos, professores e doadores de sangue com carteira probatória.

Portadores do cartão Teatro Guaíra possuem 20% de desconto na compra de até dois bilhetes por pessoa. **Taxa de conveniência do Disk- Ingressos já está inclusa no valor do bilhete Duração do espetáculo: 2h Classificação etária: 16 anos Informações para o público: 3315-0808 ou 3317-3107

ÚLTIMA OPORTUNIDADE PARA QUEM "REALMENTE" QUER SER PROFISSIONAL DE TEATRO!!!


domingo, 10 de outubro de 2010

A SUTILEZA DO MESTRE MAURO ZANATTA!!!

Shakespeare por trás das máscaras
No espetáculo Ouoqqiserdes, em cartaz no Teatro da Caixa, o diretor Mauro Zanatta, da Cia. do Ator Cômico, adapta a comédia Noite de Reis

Máscaras inteiras recobrem os rostos dos atores de Ouoqqiserdes, na adaptação feita pelo diretor Mauro Zanatta da peça Noite de Reis, de William Shakespeare. Como antes em Contas Diárias, montagem da Cia. do Ator Cômico que agrupava três cenas curtas, as máscaras redefinem a maneira como o elenco se expressa. Sem poder falar nem transmitir emoções pelas expressões faciais, o trabalho físico ganha importância redobrada no espetáculo apresentado este fim de semana no Teatro da Caixa.

Se, por um lado, trazem limitações, as máscaras têm também suas vantagens. “Acrescentam um roteiro que é fácil de ser acompanhado”, resume Zanatta. “Com as máscaras se consegue uma condensação das cenas e ações, de maneira que a linguagem fica muito universal. Tem uma certa simplificação, mas de maneira fisicamente poética.”

A música ganha relevo nesse contexto, com a entrada em cena de três músicos tocando ao vivo, como condutores dos acontecimentos.

O texto de Ouqqserdes foi escolhido por um critério simples: Zanatta queria um grande autor. “Íamos por Romeu e Julieta, que teria um roteiro com mais ações para traduzir para a máscara. Mas optamos por Noite de Reis pelo desafio de linguagem. Foi um trabalho muito agradável e rico”, diz o diretor.
A comédia se passa no reino de Illrya. Apresenta uma série de desencontros amorosos a partir da chegada de Viola, uma jovem náufraga que, acreditando ter seu irmão gêmeo morrido, se faz passar por homem. Ela se torna mensageira do duque Orsino nas cartas que escreve à amada Lady Olívia, e acaba apaixonada.

Para representar os desdobramentos, o elenco vem sendo treinado há dois meses e meio.
Enquanto isso, Zanatta se encarregou pessoalmente da construção das máscaras em argila e papel, a partir da imagem inconsciente que tinha de cada personagem. Trabalhou no desenho das 14 máscaras (vestidas por seis atores), o que lhe tomou cerca de duas semanas para terminar cada uma.

O novo espetáculo é, para Zanatta, um passo à frente em comparação a Contas Diárias, sobretudo técnico. “O grande avanço para mim, como diretor, é compreender melhor a precisão necessária às máscaras”, diz.

“Tem uma sutileza que os atores estão começando a descobrir: o fato de ir eliminando cada vez mais códigos de facilitação da mímica, e fazer com o que a atitude física e a respiração avance, para entrar na estranheza da máscara, deixando o movimento humano de lado.” Essa é a essência, afinal, da linguagem escolhida.

ULTIMA APRESENTAÇÃO DE "AS CENTENÁRIAS"!!!

Opinião 2
Qualidades de As Centenárias
Publicado em 09/10/2010 Luciana Romagnolli

Marieta Severo e Andréa Beltrão são quase tão conhecidas e queridas quanto competentes. Por isso, a recepção morna do público curitibano ao espetáculo As Centenárias, na estreia da curta temporada que segue até domingo no Guairão, faz pensar se há resistência à cultura popular nordestina, retratada na peça do pa­­raibano Newton Moreno.

O dramaturgo enveredou por costumes e tradições de um interior pobre para criar a fábula sobre duas senhoras carpideiras que ludibriam a morte. Na essência, trata da difícil aceitação da finitude humana – do medo de morrer e, antes, de perder.

A abordagem troca a seriedade do assunto pela naturalidade. E daí para o deboche e o humor, inclusive escatológico (aquele que diz respeito ao “menos elevado” da condição humana), é um pulo. O autor faz de cada neologismo motivo de graça, entretendo enquanto encara, como as personagens, o inevitável.
A encenação se apropria da riqueza cultural daquele universo criando um caos organizado, no qual bonecos pendurados no cenário são aproveitados como defuntos, marionetes multiplicam possibilidades de contracenação entre personagens, a música dá ritmo à movimentação e o jogo teatral fica mais complexo e divertido.

Nada disso seria o bastante não fosse a segurança das duas atrizes. Elas modulam a voz, rearranjam a postura corporal e o andar como senhorinhas. Cantam no tom choroso particular das carpideiras. Empregam todos os recursos que têm para dar vida às personagens espevitadas, distantes de tudo o que se habituou a vê-las interpretar.

sábado, 9 de outubro de 2010

EDGAR GARANTE O PRIMEIRO EMPREGO DE SEU FILHO!!!

DEU NO BLOG POLITICA CASCAVEL

"PREFEITO LANÇA PROGRAMA PRIMEIRO EMPREGO

O Prefeito Digá Bueno prometeu na campanha eleitoral que lançaria o programa do primeiro emprego para aqueles precisavam do tão sonhado emprego.

Eis que quase no meio do seu governo, o alcaide acaba de fazer valer sua promessa de campanha.

Acaba de oportunizar o primeiro emprego para alguém que estava desempregado.

ANDRÉ BUENO é o primeiro agraciado com a sua vaga no programa do pai.

Com certeza não vai se esquecer do Bobi Pai , pois emprego como este nunca mais.
Agora resta esperar que Andrézito também retribua criando empregos para seus colaboradores que daqui a pouco estarão batendo a sua porta.

Quanto aos jovens interessados em receber a sua vaga pois não conseguem sua vaga no mercado de trabalho devem esperar e sentar. Uma hora quem sabe...."

Postado por Politica Cascavel

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

EDGAR BUENO APOIA FUNCIONÁRIA COM 04 EMPREGOS!!!

O prefeito de Cascavel Edgar Bueno, de forma clara dá sinais de apoio irrestrito à sua funcionária de confiança JOENARA BEATRIS CECHET, que neste blog já foi denunciada por prestar serviços em "quatro" lugares diferentes.

Nesta tarde o NÚCLEO REGIONAL DE EDUCAÇÃO confirmou que JOENARA ministra aulas nos colégios SÃO CRISTOVÃO, WILSON JOFFRE E COSTA E SILVA. Dessa forma consegue assim a DIRETORA DA SECRETARIA DA CULTURA manter seu vínculo com o município e estado.

ATENÇÃO MÉDICOS E FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

Se uma DIRETORA pode ter vínculos com outros "três" lugares de trabalho, qualquer médico, dentista ou trabalhador também pode manter seus vínculos em outras atividades já que "de vez em quando" apenas sua presença é necessária.

Está explicado o por que da DIRETORA nunca estar presente em eventos de sua PRÓPRIA secretaria, pois em SALA DE AULA sua presença é EXIGIDA, já na prefeitura e nessa administração é a CASA DA MÃE JOANA!!!

JUDETE FORA DE SINTONIA! VAI DANÇAR!!!


Isso só pode ser maldade e armação do próprio EDGAR BUENO com intenção de fazer a pouco produtiva secretária da cultura Judete Bilibio pedir a conta.

Quem acessa o site (portal) da prefeitura de Cascavel (http://www.cascavel.pr.gov.br/), nota que a única secretaria "vaidosa" é a de CULTURA. É o único link em que você abre e tem uma foto da "vaidosa" senhora JUDETE BILIBIO.

Bom, a Secretária Judete (que seu partido apoiou o BETO RICHA), e também colocou "adesivo" no carro de ANDRÉ BUENO, apesar de dizer que em seu "partido" só entram pessoas que acreditam em DEUS, fez o contrário: APOSTOU EM DEUS E NO DIABO! Colocou adesivo do ANDRÉ E CEDEU A CASA PARA O COMITÊ DE "BETO RICHA".

O pior é que estão "fritando" JUDETE em óleo quente, estão inclusive deixando-a usar o "slogan" da prefeitura de forma "diferente". É a única Secretaria em que se vê o material com a frase da administração ao "contrário": TRABALHO E RESPONSÁBILIDADE!!!

Se há ou não um processo de "fritura" de Judete Bilibio o tempo dirá. O fato é que a CULTURA nunca esteve tão mal em Cascavel. Muito provavelmente a artista Judete sequer têm culpa, entretanto sua falta de CRIATIVIDADE E CREDIBILIDADE está deixando o processo cultural e artístico extremamente fragilizado em Cascavel.




ANDRÉA BELTRÃO E MARIETA SEVERO EM: AS CENTENÁRIAS!!!

Parceiras na tentativa de driblar a morte
Na premiada comédia As Centenárias, Marieta Severo e Andréa Beltrão consolidam trabalho ao lado do diretor Aderbal Freire-Filho. Peça estreia hoje no Guairão

Aos 45 anos de profissão, Marieta Severo tem experiência suficiente para afirmar que o sucesso não vem sempre. Portanto, deve ser valorizado quando acontece. Ela se refere ao espetáculo As Cente­­ná­­rias, no qual contracena com An­­dréa Beltrão, sob a direção de Aderbal Freire-Filho (Hamlet), marido de Marieta.

O texto rendeu o segundo Prêmio Shell ao autor, o pernambucano Newton Moreno (Agreste). É um feliz encontro de talentos, que viajam o país motivados pela consagração de crítica e público, obtida desde a estreia, há três anos. Só assim para Marieta quebrar um recesso de uma década sem pôr o pé na estrada com uma montagem teatral.


Marieta Severo: ao lado do marido e da amiga, se motivou para viajar o país com a montagem
Donos do teatro

Amigas há 20 anos, Marieta Severo e Andréa Beltrão se conheceram durante a peça A Estrela do Lar, dirigidas por Mauro Rasi, em 1989. Depois fizeram A Dona da História, de João Falcão, transposta para o cinema.


Em As Centenárias, pela segunda vez as duas são dirigidas por Aderbal Freire-Filho. A primeira foi em Sonata de Outono, montagem do drama familiar de Ingmar Bergman, com o qual o casal e Andréa inauguraram o Teatro Poeira, há cinco anos, no Rio de Janeiro, mantido com dinheiro do próprio bolso e patrocínio da Petrobrás para a programação.


“Sonata era um espetáculo pesado. Não saiu do Rio de Janeiro, pelo cenário difícil de transportar, e porque estávamos inaugurando o teatro naquele dia: abrindo a bilheteria, vendo se tinha papel higiênico no lugar... Não tivemos fôlego depois para sair viajando”, comenta Andréa, satisfeita com o empreendimento.

“Quando a gente acerta em cheio, como nesse trabalho, quer mostrar mais e mais”, diz por telefone a matriarca de A Grande Família, simpática, antes de embarcar para Curitiba, onde fazem uma curta temporada de hoje a domingo, no Guairão.


As Centenárias se inspira na cultura popular nordestina para falar da finitude com inusitado tom jocoso. Marieta e Andréa interpretam duas carpideiras de idade avançada. “É uma comédia com tom circense, nem consigo achar mórbida”, diz Andréa, também por telefone. “Tem um caixão em cena, onde elas pulam e se deitam, dessacralizam, esculhambam. A diversão das duas é enganar a morte sem parar.”


Para Marieta, a graça está nesse pano de fundo “que é o grande embate do ser humano”, abordado de modo debochado e esperto. “Elas acham que o melhor lugar para estar é o velório, onde a morte já passou e carregou seus fregueses, então não volta”, comenta.

Opostas e complementares, as personagens tiveram inspiração nas próprias atrizes. A Newton Moreno, elas pediram uma peça que não incluísse laços familiares. O autor as atendeu e aproveitou a amizade profunda entre as duas para escrever a comédia. Há entre as carpideiras uma relação de aprendizado com a qual Andréa se identificou, pensando na colega. “Aprendi à beça com a Marieta”, diz.

Além do texto sagaz e hilário – palavras de Marieta –, a encenação conta com uma direção presente e inventiva. A marcação se dá como um balé, em busca da expressividade teatral, e em tom circense. Exige muito das atrizes. Elas interpretam suas personagens desde a juventude à velhice, cantam como carpideiras treinadas e ainda manipulam marionetes.


“Cada uma tem seu método – ou seu não método –, mas a gente tem afinidade. Somos muito perfeccionistas, gostamos de perseguir uma temática, estudar aquilo com tara de atleta que quer ganhar mais um segundo”, observa a mais nova das duas atrizes, sobre a parceria que já completa 20 anos, e se repetiu em A Grande Família. “Com a Andréa, a confiança é absoluta e, nessa medida, a liberdade de criar também é enorme”, diz, por sua vez, Marieta.

Há cinco anos trabalhando juntos sem cessar, as duas e Aderbal já se consideram uma minicompanhia. “A situação ideal do teatro é o trabalho de grupo, pela continuidade”, diz Marieta.


Cria de uma geração que teve por modelo grupos como o Teatro Opinião e o Oficina, ela pegou uma fase de hiato, quando as companhias se esfacelavam no pós-AI 5, e reinterpretou o modelo buscando, ao longo da carreira, travar parcerias constantes, com diretores e autores como Naum Alves de Souza, Mário Borges e Pedro Paulo Rangel.


Com As Centenárias, os três têm conseguido essa continuidade almejada. No ano que vem, o espetáculo deve ir ao Nordeste.
Mantê-lo em repertório por três anos traz o risco do automatismo, como Andréa reconhece. “Mas, para nós, a reconquista do frescor, apesar de ser a milionésima vez, é como surfar em onda gigante: Uau!”, exclama.


Serviço:

As Centenárias. Guairão (Pça. Santos Andrade, s/n.º), (41) 3315-0979. Dias 7, 8 e 9 às 21h e dia 10 às 18h. R$ 40, R$ 32 (assinantes da Gazeta do Povo e portadores do cartão Teatro Guaíra) e R$ 20.
Publicado em 07/10/2010 Luciana Romagnolli